ESPOSENDE E O SEU CONCELHO


sábado, 30 de abril de 2016

«ROTARY CLUB DE ESPOSENDE»

O «ROTARY CLUB DE ESPOSENDE» REALIZOU MAIS UMA REUNIÃO FESTIVA ONDE SE VERIFICOU A ENTRADA DE UMA NOVA COMPANHEIRA

Esta terça-feira, dia 26 de abril, realizou-se mais uma reunião festiva, ao jantar, do «Rotary Club de Esposende». Estiveram presentes cerca de 60 pessoas, de entre companheiros e convidados. Foi servida lampreia do Cávado e a acompanhar, uma prova de vinho espumante “Alvarinho”. A abrilhantar o encontro esteve um Grupo de Dança da Escola Secundária Henrique Medina que realizou várias danças, merecedoras de fortes aplausos. Nesta reunião foi ainda admitida uma nova companheira, Ângela Vouga, que vem do Rotary Amizade de Florianópolis em Santa Catarina no Brasil. Na imagem a nova companheira com a madrinha, a companheira Ilda Fernandes e o presidente, Mariz Neiva. Esta entrada enriquece e engrandece o clube esposendense que tem vindo a desenvolver uma atividade marcante na sociedade esposendense.

“Esposende, Ensaio Urbano de Vila a Cidade – processos de transformação”

Republicação











Workshop hoje é dia de Orquídeas do género Cattleya


sexta-feira, 29 de abril de 2016

Albergue de S. Miguel

5.º aniversário do Albergue de S. Miguel celebrado com duas etapas do Caminho Português da Costa
Com o intuito de assinalar o 5.º aniversário do Albergue de S. Miguel, localizado em Marinhas - Esposende, a Câmara Municipal de Esposende, em parceria com os municípios da Póvoa de Varzim e de Viana do Castelo, Delegação de Marinhas da Cruz Vermelha Portuguesa, Associação Via Veteris e Grupo dos Amigos do Caminho de Santiago da Póvoa de Varzim, vai promover duas etapas do Caminho Português da Costa, no próximo mês de maio.
Assim, no dia 14, a caminhada desenvolver-se-á entre S. Pedro de Rates, no concelho da Póvoa de Varzim, e o Albergue de S. Miguel, numa extensão de 22 Km, e, no dia 21, a etapa compreende o percurso de Esposende a Viana do Castelo, num total de 20 Km.

Feira de Velharias

Selos e postais em destaque na Feira de Velharias de maio
No próximo domingo, dia 1 de maio, realiza-se mais uma edição da Feira de Velharias de Esposende, que dará destaque à filatelia e ao colecionismo de postais.
O certame decorrerá, como habitualmente, entre as 10h00 e as 19h00, no Largo Rodrigues Sampaio, no centro da cidade, e tem acesso livre e gratuito.
A filatelia estará em evidência nesta edição, com selos raros, preciosidades alvo da curiosidade de muitos admiradores, estando igualmente disponíveis postais antigos e raros, que poderão sempre ser comprados e trocados.
Promovido pelo Município de Esposende com o intuito de proporcionar a venda, compra e troca de velharias, antiguidades e colecionismo, este evento contribui também para a animação da cidade e para a dinamização da economia local. Seja para comprar ou simplesmente para ver, vale sempre a pena vir a Esposende visitar a cidade e apreciar objetos vintage.

Câmara Municipal de Esposende

Município avança com Plano de Investimentos nas Freguesias no montante de 5 milhões de euros
O Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, deu ontem a conhecer o Plano de Investimentos nas Freguesias 2016/2017, que define a estratégia de intervenção orientada para o desenvolvimento do concelho e para a melhoria da qualidade de vida da população. Em causa estão investimentos na ordem dos 5 milhões de euros, que assentam em três vetores: rede viária (2,5 milhões), água e saneamento (500 mil euros), e equipamentos (2 milhões).
Em sessão realizada no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, na qual participaram o executivo municipal, os executivos das Juntas de Freguesia, membros da Assembleia Municipal e instituições do concelho, o Presidente Benjamim Pereira fez uma retrospetiva ao investimento realizado e apresentou aqueles que são os projetos estruturantes para Esposende, alguns dos quais extravasam mesmo o âmbito concelhio.

G.C.D.R. de Gemeses

G.C.D.R. de Gemeses 11º classificado na Taça de Portugal de Regatas em Linha
Decorreu no passado fim-de-semana, 23 e 24 de abril, no Centro de Alto Rendimento de Montemor-O-Velho, a Taça de Portugal de Regatas em Linha, onde o G.C.D.R. de Gemeses se fez representar com 13 atletas.
Participaram nesta competição cerca de 500 atletas entre os escalões de cadete, júnior e sénior, nas distâncias de 1000m, 500m e 200m.
O primeiro dia foi dedicado às eliminatórias e semi-finais nas várias distâncias, sendo as finais no segundo dia de competição.
O G.C.D.R. de Gemeses o 11º lugar, num universo de 48 clubes.

Resultados dos atletas do Gemeses
1000m
K1 júnior - Rúben Boas - 2º lugar / Tiago Cruz - 8º lugar / Pedro Silva - 10º lugar / Emanuel Silva - 15º lugar
K1 Sénior - José Maciel - 13º lugar / Alfredo Faria - 14º lugar / Bruno silva - 18º lugar

500m
K1 Cadete Fem. - Andreia Azevedo - 6º lugar
K1 Sénior Fem. - Alice Alves - 17º lugar

200m
K1 Júnior - Rúben Boas - 3º lugar / Tiago Cruz - 14º lugar
K1 Cadete Fem. - Andreia Azevedo - 9º lugar


Já no próximo sábado, dia 30 de abril, serão os atletas mais jovens a participar no Campeonato Regional de Esperanças que se realiza pelas 15h, no Centro Náutico de Gemeses.
Direção do G.C.D.R. de Gemeses 

“Os Verdes”

1.º de Maio - Dia do Trabalhador

No dia 1 de Maio de 1886, em Chicago, centenas de milhares de operários iniciaram uma luta histórica, fazendo uma greve geral reivindicando o estabelecimento da jornada de oito horas de trabalho, sendo impiedosamente reprimidos pelas entidades policiais e patronais.

Em Portugal, só se voltou a comemorar livremente o 1º de Maio, a partir de 1974, com o fim do regime fascista que reprimia a celebração deste dia.

Com o fim deste regime de lápis azul, foi possível abrir portas à criação da Constituição da República Portuguesa, lei fundamental que faz este ano 40 anos.

Os jovens ecologistas assinalam este dia e saúdam todos os jovens que diariamente lutam pelos seus direitos, com especial ênfase nos locais de trabalho, resistindo contra políticas laborais injustas.
O anterior Governo PSD/CDS foi dos governos que mais afrontou a Constituição e mais entraves colocou à emancipação dos jovens, obrigando muitos a emigrar por melhores condições de vida.

"Os Verdes"

Intervenção do Deputado José Luís Ferreira
Debate sobre o Sistema financeiro e controlo público da banca
- Assembleia da República, 29 de abril de 2016 –
 Sr. Presidente, Srs. Membros do Governo, Sr.as e Srs. Deputados:

Se nós olharmos para aquilo que foi a nossa história recente, percebemos, que as decisões de vários Governos, em entregar a banca aos privados, foram um erro colossal.
De facto, a privatização do sector financeiro destruiu valor e fez desaparecer riqueza que era de todos.

Foi um fartote para engordar fortunas de uns poucos, ao mesmo tempo que representou volumosos prejuízos acumulados para o Estado e para as famílias portuguesas.
E hoje, ironia das ironias, são os portugueses, os reformados, os trabalhadores, os desempregados e o Estado Social, que são chamados a pagar a fatura para acudir a um sector que literalmente se demitiu da responsabilidade de potenciar a economia e de ajudar as famílias.

A brincar, a brincar, já lá vão 12 mil milhões de euros.
Vou repetir, nos últimos 5 anos, o Estado colocou na banca, mais de 12 mil milhões de euros.
Isto quando todos sabemos que não foram e não são os custos com as funções sociais do estado e os serviços públicos os responsáveis pelo endividamento dos estados, e muito menos os contribuintes, mas sim o sistema financeiro.

Se dúvidas houvesse, a crise que se abateu sobre nós a partir de 2008, dissiparia quaisquer dúvidas sobre a dimensão do erro em alienar a banca.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

“Os Verdes”

Os Verdes questionam o Governo sobre a utilização de animais para fins experimentais
A Deputada Heloísa Apolónia, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta em que questiona o Governo, através do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superiorsobre os indicadores relativos à utilização de animais para fins experimentais, em Portugal e que medidas têm sido tomadas no sentido de dar cumprimento ao estipulado na diretiva relativa à proteção de animais utilizados para fins científicos.
Pergunta:
Os Verdes sempre têm entendido que o conhecimento da realidade é um passo determinante para se adotarem políticas que promovam a solução dos problemas identificados ou que adequem as práticas humanas às necessidades de uma sociedade sempre mais sustentável. Daí que os indicadores sejam bastante relevantes, não para serem tidos como meros números, mas para que entendamos a dimensão das realidades.

"Os Verdes"

Os Verdes na Serra do Marão
Reunião e visita ao Baldio de Ansiães- Amarante

Uma delegação do Partido Ecologista Os Verdes, que inclui o deputado José Luís Ferreira, e o dirigente nacional, Júlio Sá, irá reunir esta segunda-feira, dia 2 de maio, com responsáveis pelo Baldio de Ansiães, no concelho de Amarante, localizado em plena Serra do Marão.

Num momento em que se encontra completa a construção do túnel do Marão e em que já se avançam datas para a sua inauguração, com um conjunto de iniciativas associadas à «festa» da inauguração, é importante e imprescindível atentar e dar soluções aos impactos negativos decorrentes da construção do túnel que afetam sobretudo as atividades agrícolas e florestais desenvolvidas pelo Baldio de Ansiães, tido como um dos melhores exemplos desta forma ancestral de gestão de propriedade que são as áreas comunitárias.

MENSAGENS POPULARES

Dia Nacional do Pescador



(Luís Eiras)

CANTINHO DOS LOBOS DO MAR por Carlos Barros

CANTINHO DOS LOBOS DO MAR
por Carlos Barros

A estacada….

Foi tradição em Esposende, durante longos anos, a utilização da estacada – inúmeras estacas de pinho, espetadas na areia do rio – leito - em forma de  bico, chamado fojo - abrangendo parcialmente   as duas margens do rio Cávado. A rede era presa nas referidas estacas e iam para o fundo, com apoio dos garruchos-cordas presas às estacas-.
Os paus – estacas - eram compradas ou surripiadas pelos pescadores nas bouças e eram espetadas com o auxílio de um maço de madeira. A estacada funcionava em “sociedade” entre os pescadores de Esposende e de Fão, em dias alternados e a rede só podia ser instalada ao nascer do sol e ao pôr-do-sol, tinha de ser retirada, visando a preservação da espécie – ciclóstumes - .

 Os pescadores de Fão - António Borda, Tone Lírio, Arménio, Ascánio…, com os seus barquinhos , colocavam-se  perto do “vértice”-fojo- da estacada e com os seus bicheiros apanhavam as lampreias que se aglomeravam em grande número e os pescadores de Esposende, - Cândido Curico, tio David Loureiro, Santos, João Careca, Zé “Bêbado”, Álvaro e  João  Fá, Serafim,  Guedes…-  procediam da mesma maneira. No dia dezoito de Dezembro era o início da safra da lampreia e terminava a quinze de Abril e nesse período, pescavam-se milhares de lampreias que se vendiam, à unidade ou ao quilo, na época-1960… por vinte  escudos, ou cinquenta escudos conforme a quantidade.
Nos rigores do inverno, com as enxurradas, as redes eram arrastadas e perdiam-se no rio ou no mar, causando prejuízos aos pescadores. No período da estacada era proibido aos pescadores, apanharem lampreias na barra ou no rio, com as fisgas, e tantos os pescadores de Fão, como os de Esposende, mantinha vigilância na barra para impedir que alguém transgredisse, violando, deste modo, o acordo entre os pescadores das duas vilas do nosso concelho. Naturalmente, às escondidas, caçavam-se lampreias porque era muito difícil manter um controlo e vigilância absoluta e, pela “calada da noite”, as lampreias eram fisgadas e só paravam em casa dos transgressores….
O Santos, um jovem pescador astuto, foi para a barra pela tardinha, acompanhado de uns amigos também pescadores e resolveram apanhar umas lampreias,  “à socapa”  e organizaram um plano de actuação para não serem vistos. Com um bicheiro escondido, lá foram eles  para a Foz do nosso rio Cávado, num dia de nevoeiro e não se encontrava ninguém na praia,  pensavam eles!….
No dia anterior, o Milo, mais conhecido, pelo Rosas, tinha apanhado duas lampreias no cais da barra mas, por sorte, não tinha sido descoberto!
Num curto período de tempo, estes aventureiros, apanharam quatro lampreias, muito “taludas” e todos ficaram radiantes até que apareceu uma surpresa! O Tio Guedes que andava na vigilância, no meio do nevoeiro cerrado, viu aqueles “meliantes” com as lampreias e ordenou-lhes que fossem lançadas ao  rio, perante o desespero do Santos que pedia ao Senhor dos Aflitos para que o tio Guedes mudasse de ideias!...
  Caluda, meus vadios, lampreias ao rio e já, senão à “molho” pela certa, ameaçou o Tio Guedes…

As lampreias já condenadas, “viram” uma luz ao fundo do túnel já que o Tio Guedes parecia ser o patrono delas…
Muito desanimado, o Santos teve que lançar as lampreias ao rio e, uma vez libertadas, continuaram a sua “caminhada” provavelmente, a caminho da estacada mas aqui sim, poderiam ser apanhadas porque a tradição assim o permitia…
O Santos olhou para o Álvaro ”Mudo” e para o seu irmão Serafim e disse-lhes:
Ficamos com o dia estragado por causa deste tio Guedes que tem a mania que manda…
Mas quem não arrisca, não petisca, dizia o Santos para os seus amigos, pois amanhã, vamos tentar outra vez, mas só quando o tio Guedes estiver a dormir a sua  soneca lá em casa…
“Pescador de histórias”