ESPOSENDE E O SEU CONCELHO


ANTÓNIO PINTO

Hoje deixou-nos um grande Esposendense, um Homem singular.
Sinceramente, não sei mesmo como começar esta minha pequena Homenagem, a um dos meus maiores Amigos de sempre.

Emílio Henrique Moreira Velasco faleceu hoje com 93 anos de idade.
Conheci o Henrique quando eu era ainda muito jovem. Apesar da diferença de idades, sempre a nossa relação foi franca e aberta. Tínhamos um  tratamento de mútuo respeito e consideração. Vivemos décadas como grandes Amigos e muito próximos.
Tive o prazer e a honra de trabalhar com o Henrique no Glorioso Esposende Sport Clube(E.S.C). Foi um dos fundadores da Associação Desportiva de Esposende (A.D.E.). Mesário da Santa Casa da Misericórdia de Esposende. Fez parte, como bombeiro, da corporação de Esposende. Dirigente por vários mandatos.

Foi um dos principais impulsionadores dos bailes mascarados em Esposende (Teatro Clube), nos anos 40/50, que marcaram muitas gerações.
Com um elevado sentido crítico, onde no seu coração imperava a justiça, o bem, e a honestidade. Era simples e humilde. Foi para mim uma referência como Amigo. Quantas vezes recebi o seu conselho, sempre franco, leal e transparente.
Foi alguém que marcou a minha juventude e teve importância notável na minha formação como homem. Aprendi muito com ele.
"Era um infatigável amigo da Liberdade"
Morreu um Homem, desapareceu um Esposendense, que à sua terra deu muito do seu esforço e dedicação.
O Henrique era figura de prestígio e de respeito neste concelho, onde  se aplicou com disponibilidade e abnegação para servir a nossa terra.
"Na vida não importa como somos, mas que alguém nos aprecie pelo que somos."
Esta é a minha pequena e sentida homenagem a quem tive o privilégio de ser meu Amigo.
Quis o destino que as nossas últimas moradias ficassem lado a lado. Depois aí, com mais calma e sossego, vamos reviver conversas antigas e as nossas confidências para sempre.
Amigo Henrique, até um dia destes.

a. pinto

 
Hoje, como em tantas outras vezes, fomos surpreendidos com mais uma triste notícia.
Deixou-nos um bom Amigo, de longa data, um homem estimado, respeitado e íntegro.
Celestino Alves Morgado tinha 90 anos de idade, era sapateiro de profissão e residia no Lugar de Góios, Marinhas.
Na minha infância, quando frequentava o velho Campo Padre Sá Pereira, onde todos os jogadores eram meus ídolos, habituei-me a ver o Sr. Celestino, sempre junto do balneário, assistindo aos jogos do E.S.C., era infalível, quer fizesse sol ou chuva, lá estava sempre na sua velhinha motorizada, marcando presença.
Era o seu lugar predilecto, embora nos últimos tempos por motivos de saúde, lhe era reservada uma cadeira, isto ao longo de décadas.

Recentemente, numa visita que fiz ao  seu pequeno local de trabalho, vem pertinho da Capelinha do S. Roque, tive oportunidade de recordar com ele, velhos tempos e velhas "estórias" do Glorioso E.S.C..
Era com grande entusiasmo e paixão que falava de: Samuel, Farol, Jaime, Miquelino, Rendido, Laguna, Amâncio, Sotero, Pires, M. Rex(meu irmão), Carvalho, Chino, Saganito, etc., etc., dos Dirigentes Porfírio (não havia igual), irmãos Vilarinhos, João e Augusto, J. Braga, F. Areias, Dr. J. Paulo, etc., etc....
Dos grandes jogos, da 3ª Divisão Nacional, com o Chaves, Vila Real, Gil Vicente (sempre muito disputado), Vianense, Arcos de Valdevez, Riopele, etc., etc....
Questionei-o, sendo natural de Marinhas (Góios), o porquê de tanta paixão e dedicação ao E.S.C..
Dizia-me ele, isto já dura há muitos anos, décadas, ainda não havia equipas de Futebol no concelho, vem dos anos 40/50, gostava muito de Futebol e lá conquistei muitos e bons amigos, que ainda hoje os conservo, fui desde sempre muito respeitado.
Os seus olhos brilhavam, o seu sorriso transbordava de alegria e simplicidade, irradiava felicidade por todos os poros.
Olhava para ele e meditava, mas que memória privilegiada, que facilidade de recordar o passado, com tanta paixão, amor e bairrismo, mas que grande exemplo!

Dizia-me ter dois amores desportivos o E.S.C. / A.D.E. e o Sporting C.P., era visível no seu pequeno local de trabalho crivado de posters do S.C.P.
Hoje é uma saudade. Vai ser com muita nostalgia que, quando entrar de novo no Padre Sá Pereira, vou olhar para o cantinho do costume e lá vai faltar alguém, que desde sempre me habituei a ver ao longo de décadas. Vai ser um vazio enorme,  difícil de preencher, na certeza, porém, que o Sr. Celestino vai estar lá sempre, e para sempre, como do costume, no seu cantinho, porque os Homens Bons permanecerão para sempre gravados na nossa memória.
Hoje, as nuvens que pairam na encosta do monte de Faro estão mais cinzentas e carregadas, o velhinho e encantador lugar de Góios perdeu uma referência, perdeu um Homem de verdade.
"Os amigos só morrem, quando forem esquecidos."
A lei da vida não tem revogação possível, temos que a aceitar, embora com a fé que um dia haja probabilidade de nos encontrar. Não será no seu belo e encantado lugar de Góios, será noutro lugar, com as nuvens menos carregadas e o sol a brilhar, e então, vamos ao nosso arquivo de memórias, com mais calma e  tranquilidade e recordamos a sempre linda e bela História do nosso eterno Glorioso. 
Esta é a minha simples Homenagem a um Homem que viveu e morreu sempre simples, a um exemplar chefe de Família.
À Família enlutada, especialmente aos seus Filhos, as minhas sentidas condolências.

a.pinto

FALECEU MAIS UMA GLÓRIA DO ESPOSENDE SPORT CLUB
O  meu pensamento foi, Esposende perdeu um grande ser humano, um grande desportista e um exemplar chefe de Família.
Artur Alves Miquelino foi pescador de profissão, mais tarde e durante décadas foi Patrão do Salva Vidas de Esposende.
Conhecedor profundo da nossa barra, baixios, assoreamentos e correntes, onde muitas vezes aplicou a sua sabedoria, socorrendo náufragos nesse mar tenebroso que tantas vidas tem ceifado.
Falar com o A. Miquelino era algo motivador, porque as suas palavras eram meigas, e a propósito, assim como a sua boa disposição contagiava as pessoas, o seu sentido de humor era uma constante.
A. Miquelino também se notabilizou como desportista, no Futebol e Remo.
Em pé(da esquerda para a direita): Catora, Saganito(pai), Fernando Cardoso, Sousa, Miquelino, João Café(Porto Alegre/BR) e Jaime.
Agachados(da esquerda para a direita): Américo Magalhães(irmão do Tininho Magalhães), Cãla, Laguna, Souto e João Reis.


No Futebol fez parte de uma geração de Elite do Glorioso Esposende Sport Clube, foto nos anos 40/50.
Nessas épocas o E.S.C. disputou muitas vezes o Nacional de 3ª Divisão e as equipas como Gil Vicente, Régua, Mirandela, Chaves, Vianense, Famalicão, Cabeceirense, etc.,etc., era o único clube que existia no concelho, por conseguinte a euforia era generalizada.
Tornou-se uma constante, sempre que o E.S.C. ganhava fora, a equipa era recebida com banda de música na Senhora da Saúde, vindo depois em cortejo até a sede no Largo dos Peixinhos, o qual terminava sempre em apoteose.
Como eu recordo, com os meus 6/7 anos, andar a cantarolar “Ó Miquelino defende a bola, não tenhas medo de sujar a camisola...”, assim como, “no Domingo à tardinha entra em campo a nossa linha com a bola a saltitar, diz o povo cá de fora sr. Árbitro está na hora...”,  que nostalgia!
No Remo, foi onde o Artur mais se notabilizou, fazendo parte de uma equipa verdadeiramente fantástica (foto), anos 40/50, grandes proezas cometeu esta equipa.
Da esquerda para a direita:
Artur Miquelino, sota proa, Zé da Lucas, proa, Barbosinha, timoneiro, A.Portela, sota voga, e M.Piedade, voga, 
era treinador o comandante Firmino Loureiro.
No dia 6 de Agosto de 1947 em Viana do Castelo bateram o Campeão Ibérico, Galitos de Aveiro, e ganhando todas as provas disputadas nesse dia.
Em 1948, voltaram a ser Campeões Nacionais, espalhando pelo País a arte de bem remar, Caminha, V.Castelo, Porto, Aveiro, Figueira da Foz, Lisboa, V.R.S. António, etc...
Esposende, como prova de gratidão, acompanhava estes homens em camionetas, dando-lhes incentivo e carinho.
De salientar que toda esta equipa era oriunda da classe piscatória.
Esposende deve muito a esta gente, simples e humilde, que escreveu muitas linhas de ouro na História do Desporto em Esposende.
Tivemos Campeões em Futebol e Vela, mas atingir o patamar e projecção como esta equipa, prata da casa, não tenho memória.
Lentamente, ano após ano, a nossa História vai ficando mais pobre, nunca, que eu me recorde, lhes foi prestada uma Homenagem condizente e visível, com o seu verdadeiro valor, pois estes homens prestigiaram e enalteceram, e muito, o nome da nossa terra.
Esta é parte de uma História de um verdadeiro Campeão que nos acaba de deixar....
Esposende perde um grande desportista, a classe piscatória perde uma referência.
Hoje o nevoeiro da nossa terra deixa lágrimas varridas pela nortada, lembrando-nos o  exemplo e a saudade de um verdadeiro e genuíno HOMEM do nosso rio e do nosso mar, que sentia no seu coração o palpitar constante das ondas do oceano.
Esta simples e humilde homenagem não retrata a forma de vida de uma pessoa simples e modesta do nosso povo, sem pretensões na vida, mas que Esposende se habitou a respeitar e admirar.
Até um dia destes Comandante, com as águas mais calmas e serenas, sem as maresias do costume...
À numerosa Família enlutada e especialmente aos seus Filhos, os meus sentidos pêsames.
A. Pinto
Glorioso Esposende Sport Club:
Época 1954/1955
Em pé(da esquerda para a direita):
1.Jaime,2. Monteiro(de Fão), 3.Samuel, 4.Pires(de Góios), 5.João Café, 6. Farol, guarda-redes,  e 7.Pinheiro Borda (de Fão), treinador.
Agachados(da esquerda para a direita):

8.Réquété (de Fão), 9.Manuel Losa, 10.Pilar, 11. J. Tamanqueiro, e 12. Joaquim(Quim) Cruz.

Quando menos se espera eis que surge a triste noticia.
Faleceu hoje com 80 anos de idade Manuel Laurentino Losa de Faria, mais uma velha Glória do E.S.C.
Sabemos que a morte é uma certeza difícil de conviver.
Há momentos que não sabemos por onde ir e o que fazer, mas também sabemos, que esta vida é uma passagem, nem sempre fácil de aceitar, por isso acreditamos num encontro no futuro.
Manuel Losa  fez parte de uma geração de ouro do E.S.C., da década de 1950, que se notabilizou pela sua irreverência, pela sua juventude e pela qualidade do seu futebol. Praticado de forma magistral, acompanhado de arte e magia, que só os predestinados o sabem fazer, e a prova disso é que alguns voaram mais alto, e outros não o fizeram porque não quiseram.
Disputava-se nessas épocas os Regionais da A.F. de Braga, em que os primeiros classificados, eram promovidos automaticamente à III Divisão Nacional, faziam parte Clubes como  Gil Vicente, Famalicão, Vianense, Riopele, Monção, Fafe, (Sporting e Futebol Club) Arcos Valdevez, etc., etc.,...
Era na ocasião o único Club do concelho, por conseguinte Esposende vivia intensamente o futebol, com casas quase sempre cheias..
Lembro-me perfeitamente de uma digressão do América Futebol Club do R.J.- Brasil de(Leónidas Mão de Pilão, internacionais, etc. ,etc,...) fez pela Europa, no norte escolheram o Hotel Ofir, como quartel general, pois um dos principais Dirigentes era o Fangueiro Artur Sobral.
Realizaram um treino no Padre Sá Pereira-Esposende, num domingo de manhã, misturando jogadores do E.S.C. e do América. Manuel Losa fez um exibição de tal ordem, que no final o mister do América, nosso bem conhecido Otto Glória, abordou M. Losa dizendo-lhe: "Menino quer ir comigo pró Brasil", era isto o potencial de M. Losa.
Como também me lembro de um jogo realizado nas Taipas, em que eu tive o privilégio de ser colega de M. Losa, jogo ganho pelo E.S.C. 4-2,
após termos sofrido um golo, logo no pontapé de saída, M.Losa arrancou com a bola, passou por toda a "gente", incluindo o G. Redes, parando só, dentro da baliza, habilidade a rodos... era ou não era um génio.
Também queria referenciar que esta equipa está de braçadeira preta, homenageando precisamente pela morte do Pai de M. Losa.
Os jogadores com cabelo rapado andavam na tropa.
Amigo e companheiro Manel, com certeza um dia destes, não será no Sá Pereira, será noutro campo, vamos relembrar as tuas grandes exibições ao serviço do Glorioso E.S.C., jamais esquecidas....
À Família enlutada, especialmente sua esposa D. Tininha Torres e restante Família, as minhas condolências.
Até já Manel.
A.   Pinto

   "MEU CAPITÃO DEIXOU-NOS"

Hoje mais uma vez fui surpreendido com a triste notícia, faleceu o Álvaro Amâncio. O meu pensamento foi, perdi um Grande Amigo, Esposende perdeu um grande Desportista.
Álvaro de Barros Ferreira, de 84 anos de idade, faleceu hoje.
Mais uma velha Glória de Esposende Sport Club, que desaparece.
Um Esposendense de  gema, um homem de consensos, um lutador, enfim um HOMEM BOM que sentia  Esposende no seu coração.
Foi jogador do E.S. C., nas décadas de 19650/60, director, treinador e Fundador da A.D.E. -Associação Desportiva de  Esposende.
O Amâncio era exímio em tudo que fazia, caça, pesca ,etc...
Tive o privilégio de jogar com o Amâncio, na década de 60, já no final da sua carreira, onde todos nós o tratávamos por "Capitón ", sim ele, era o nosso capitão de equipa.
Porque Amâncio era uma referência e exemplo para todos nós, pela sua postura, pela garra, pelo trato e pela dedicação.
Quantas e quantas vezes, naqueles derbys com o Gil Vicente (dos Vieiras, Canários, Nólitos, etc.) do Vianense (do Manolo, Valdemar, Domingos, etc.), com enchentes no Sá Pereira, com o Fafe, Monção(dos Taretas,Tátás, etc.), Famalicão (dos Longras argentinos, etc.), etc. etc., ... eu via o sangue a escorrer pelas suas pernas, o saibro do Sá Pereira era implacável, mas ele, sempre ele, com a sua genica e garra, nos dizia "isto não é nada", vamos em frente, vamos à luta temos de ser dignos  e defender o emblema que temos no peito, mas que tamanho exemplo!...
Nós até podemos concordar que as nossas armas não eram iguais às dos adversários, já semi-profissionais, mas ele, sempre ele  a incentivar, temos de ser briosos e lutadores.
Tudo isto a custo Zero, nenhum do nós ganhava um centavo, tudo por amor à camisola e à terra.
Desportivamente Esposende, ficou mais pobre, e perdeu-se um grande ser Humano.
Amigo, até já.
Um dia destes com certeza que nos vamos encontrar, não será no velho Sá Pereira, mas sim noutro campo, onde descansam, os justos pecadores, os sofredores e os BONS, e aí, mais sossegados, vamos discutir melhor as táticas!
"Os Amigos só morrem se forem esquecidos"
À Família enlutada especialmente sua esposa Maria José, Filhos e restante Família, as minhas condolências.
a. pinto 
ESPOSENDE TERRA DE CAMPEÕES
Por A. Pinto

Tive oportunidade, no passado sábado, de assistir na Zona Ribeirinha de Esposende a uma (mais uma) justa homenagem ao nosso Campeão Motard Paulo Gonçalves, realizada pelo Município de Esposende.
Tive o prazer e a honra de pessoalmente felicitar o Grande Campeão, que tanto tem prestigiado e honrado a nossa/sua terra e Portugal.
Após lhe ter pedido um autógrafo num poster seu, para meu neto de 12 anos, seu fã incondicional, reparei que estava na presença de uma figura simples e simpática, o qual me sensibilizou bastante.
Também aqui o Paulo Gonçalves é um Campeão.
Como tudo na vida é preciso saber estar!... E o nosso Campeão também sabe estar!... 
Uma palavra pela forma como, sem qualquer preconceito e informalidade, foi visível e notória a presença do responsável pelo mais alto cargo do nosso Município.
Misturado com os motards e equipado como tal, como qualquer cidadão comum, emprestou a esta cerimónia  um carisma muito especial, dando um sinal de simplicidade e humildade... Bom exemplo!.... 
"As pessoas não são apreciadas pelo que são, mas sim pelo que representam!..."
Como Esposendense, quero mais uma vez felicitar Paulo Gonçalves, fazendo votos que muita sorte (sim, sem sorte não há campeões), desejando-lhe que continue a somar muitos êxitos pessoais, e assim continuará a contribuir par o prestígio e engrandecimento de Esposende e de Portugal.
E, como Esposende é terra de campeões, também aqui uma referência especial e justa para lembrar, os nomes de Teresa Portela e de João Ribeiro(campeões canoístas),porque também eles são, produtos nossos Made in Esposende.
a.pinto
A triste notícia veio de S. Gonçalo - Niterói- Rio de Janeiro
Deixou o nosso convívio João Adriano Pereira Abertas, com 71 anos de idade, mais conhecido entre nós pelo "João Papinhas".

O João que nasceu na Rua 31 de Janeiro, nesta cidade, cedo com tantos outros emigrou para o Brasil, mas nunca esqueceu a sua terra natal, que muito amava e tinha no coração.
Em junho de 2013, tivemos a sua visita, passamos um pouco de tempo juntos, já um pouco adoentado, mas sempre com esperança de melhores dias, não veio este ano por causa da Copa do Mundo, mas com a promessa de 2015, cá estaria...
A triste notícia veio célere através do seu amigo Eduardo.
Mais um bom amigo e um Esposendense de gema que parte.
Amigo João, até um dia destes.
À Família as minhas sentidas condolências.
a.pinto 



Faleceu ontem, com 65 anos de idade, José Tomás Neto Ferreira da Silva, mais conhecido, entre nós, por "Tonho".
O "Tonho” era uma figura da nossa Ribeira. De profissão alfaiate passava o tempo entre a classe piscatória. O “Tonho” era um conversador nato, sempre tinha uma "estória" pra contar, dava prazer ouvir o “Tonho”, porque punha na sua conversação um entusiasmo invulgar.
Também foi ídolo desportista nos anos 60.
Ao serviço do Glorioso Esposende Sport Club, a equipa de Principiantes de 1964/65 e a de Juvenis de 1965/66, disputou o Campeonato Nacional de Futebol, entre equipas como F.C.Porto, Leixões S.C., Sporting Club de Braga, e outras de prestígio. Entre companheiros do Tonho, saliento J. Rego, Solinho, "Tone” Maria, "Chico", Vilarinho, João "Pirata", Jorge "Torradinhas", Barra Reis, e outros de acordo com a foto.
Os desportistas Esposendenses viveram momentos inesquecíveis, estes homens espalharam aos quatros ventos  o nome da nossa terra. Tinham como timoneiro Samuel Santos e a Direção composta por J. Vilarinho, A. Vilarinho e Porfírio Moreira, aqui também se fez "história".
Na foto "Tonho” é o segundo, embaixo da direita para esquerda.
Ontem partiu, mas deixa na nossa memória, a pessoa comunicativa, desprendida e bairrista...
Para ti "Tonho”, um até já.
Para a numerosa Família as minhas sentidas condolências, especialmente sua esposa. 
A. Pinto

Hoje fomos surpreendidos com uma triste notícia. Mais uma Glória do Esposende Sport Club que nos deixou. Passos Manuel da Silva Vilas Boas, mais conhecido pelo "Chino". 
O Passos foi daqueles jogadores, como tantos outros, que saiu do viveiro da nossa Ribeira, directamente para a equipa principal do E.S.C..
Tive a honra de ser seu amigo e colega na equipa de séniores do Glorioso E.S.C., e lembro-me perfeitamente, o quanto o Passos tinha de dedicação ao Clube da nossa terra. Sangue na guelra e o Glorioso sempre no coração, vivia intensamente os jogos no velho Padre Sá Pereira, talvez demais! Sempre insatisfeito e inconformado quando as coisas corriam menos bem, mas sempre combativo e aplicado, era sempre assim, antes quebrar do que torcer. Em momentos de maus resultados era dos primeiros a incentivar os colegas, não vamos cruzar os braços, vamos em frente, isto é uma vergonha. Era assim o Passos.
Um grande exemplo nos dava o Passos e o Tião Saganito. Quando vinham aos Domingos da faina do mar, directamente para a camioneta para irmos jogar fora. O comandante da nau, Porfírio Moreira, que não tinha verba para pagar as marés do mar, então eles pelo amor que tinham à camisola, com duas sandes, que lhes estavam reservadas na camioneta, iam cumprir o seu dever, sempre com a garra e genica do costume.
"Antigamente era assim"
Passos sempre jogou como defesa esquerdo. Foi Campeão da A.F.B. e disputou o Nacional da 3ª Divisão, durante anos, e foram muitos, sempre com a camisola do Glorioso.
Amigo, o jogo mais importante que tinhas, o da vida, perdeste, mas ganhaste outros, também importantes,  que vão perdurar para sempre na nossa memória, amizade e respeito dos Esposendenses.

Um dia destes com certeza que nos vamos encontrar. Já não será no velho Padre Sá Pereira, será noutro campo, onde descansam os justos, os pecadores, os sofredores e os bons.
E, talvez, quem sabe?! tu me perguntes, como sempre o fazias, "como vai o nosso Sporting?"
À Família enlutada os meus sentidos pêsames
Para ti, companheiro e amigo, um até já.
a. pinto

Faz um ano que o meu Rui partiu, não é por esse facto, porque para nós, todos os dias são iguais, mas sim para lhe dizer que continua no nosso coração, e que a sua chama está cada vez mais viva, o vazio que nos deixou é enorme, jamais será preenchido... hoje é dia de muita, muita saudade... este texto é a nossa homenagem ao nosso Menino. 
A. Pinto


Não é demais prestar uma singela homenagem  ao Miranda porque ele tinha Esposende no seu sangue!



Este não é para mim o melhor momento para eu dar notícias, principalmente quando elas são tristes. Mas por dever de consciência, e como tenho reparado que ainda não chegou aí a  notícia da morte de mais um Esposendense de gema, não podia deixar em claro. Refiro-me ao desaparecimento do nosso convívio de António Lopes da Silva Miranda.
Acompanhei muito de perto a vida deste nosso Amigo, desde o seu trabalho no Tribunal de Esposende, "era um rato dos corredores", a sua passagem pela Agência "AVIC",  o "Miranda Chicho" como era por todos nós conhecido, era pessoa afável e de fácil convívio.
Também me lembro, como muitos se devem lembrar do Amor que ele tinha na realização das Festas da Senhora da Saúde, quantas e quantas vezes, muito próximo da data não havia comissão, e ele, sempre ele, com seu irmão e com o meu, conseguiam juntar uns tantos amigos, e pouco mais de um mês, a tradição cumpria-se.
Também me lembro dos tempos do nosso Glorioso Esposende Sport Club, quando a trave mestra Porfírio Moreira, já cansado, não queria continuar, e para não acabar,  ele, sempre ele, com a sua "choramingueira" conseguia por "tralhas ou por malhas" demover P.M., para que o Glorioso não acabasse, esta cena presenciei mais que uma vez.
Era realmente um Homem que sentia Esposende no coração e de consensos, eu que o diga!...
Não é demais prestar uma singela homenagem  ao Miranda porque ele tinha Esposende no seu sangue!...

Ao Bom Amigo Miranda, um até breve.

À Família, esposa filhos e demais, sentidos pêsames.

A. Pinto


OBRIGADO FILHO.

Mergulhado numa profunda dor e sofrimento, acabo de chegar da missa do 7º dia do meu Menino Rui, julgo que ainda estou a viver um pesadelo, ainda não me convenci que perdi aquilo que era a minha razão de ser. Eu vivia para o Rui, por outra, nós cá em casa vivíamos para o nosso Menino.
Partiu muito cedo, mesmo muito cedo, por tudo que fez na vida não era merecer de tal sorte, foi um sofredor e lutador, nunca virando a cara à luta, teve uma série de intervenções cirúrgicas, mas sempre que necessário lá dizia ele "Pai é para meu bem, vamos", travou e ganhou uma série de batalhas, só esta última é que foi mais forte do que ele, e perdeu, mas perdeu com serenidade e em paz.
Rui meu filho, há pessoas que não se repetem, e tu és um deles! Pela tua simpatia, pela simplicidade, não tinhas vaidade, tinhas um coração do tamanho do mundo, o tem sorriso, aquele sorrisinho, era o suficiente para conquistar amizades, eu melhor que ninguém posso dizer, tinhas muitas, mesmo muitas. Não é preciso partir para ser bom, agora é que constatei o quanto eras querido. Mesmo agora nestes últimos 6 meses, muito dolorosos para nós, internado, continuavas a fazer amigos, como tu eras BOM.
Sei que continuas connosco, e nós continuamos vendo as fotos onde estás. Pode parecer doentio, mas faz parte do processo, sabemos que um dia a dor deixa de ser dor, passa a crónica, vai haver uns dias que vai doer mais, outros vai doer menos, mas eu digo, nós cá em casa estamos preparados para isso, recordar todos os dias das nossas vidas o nosso MENINO, e acreditamos que ele ande por aí a olhar por nós.
Rui o nosso Menino temos um orgulho enorme em ti. Serás eternamente lembrado.
Obrigado Filho.
A. Pinto e Família.
Nota: Agradecer ao bom Amigo Carlos Barros, as simpáticas palavras de conforto que nos transmitiu, obrigado Carlos, és dos bons Amigos!


O Sr. Quintino era um Grande Esposendense e como tal, aqui o recordo.



Por A. Pinto


Foi sepultado no dia 20/03 no nosso cemitério o Sr. Quintino Martins Alves.
O Sr. Quintino faleceu com 75 anos de idade.
Quem não se lembra do Sr. Quintino?
Todos aqueles que passaram pelo Colégio Infante de Sagres e depois pela Escola Preparatória António Correia de Oliveira se lembram do contínuo Sr. Quintino.
Como disse o Monsenhor na homília: o Sr. Quintino era tudo, até jardineiro foi, além de outros "biscates" que fazia.
Bombeiro Voluntário durante dezenas de anos foi-lhe prestado uma justíssima homenagem com guarda de honra, merecidíssima.
Era pessoa simples. Respeitador e respeitado. Com uma educação esmerada. Pessoa do nosso Povo. Talvez por ser do Povo simples e modesto, não foi recordado como merecia.
Espero vir a tempo de tapar essa lacuna!
O Sr. Quintino era um Grande Esposendense e como tal, aqui o recordo.


MORREU O SR. BRAGA


Hoje, logo pela manhã e muito cedo, a notícia correu célere, morreu o Sr. Braga.
O meu pensamento foi,  Esposende ficou mais pobre.
Mais uma vez e tantas vezes o tem feito, a morte que nem tem amigos, chegou e levou!...
Desta vez foi mais uma figura cuja popularidade  soube construir, através da sua convivência na sociedade, onde construiu muitos amigos. 
A morte levou um Grande Amigo de Esposende, Joaquim da Silva Braga, 84 anos, não sendo natural da nossa terra, mas era um Grande Esposendense.
É mais um vazio que fica para nós.
Quem não conhece o Sr. Braga, homem de franco convívio, de exemplar honestidade, homem de paz, harmonia  e de consensos, sempre pronto a auxiliar de quem dele necessitava. 
Benemérito do qual foi Presidente do Esposende Sport Club e dando continuidade como Benemérito da Associação Desportiva de Esposende, Benemérito e Dirigente da Associação H. dos Bombeiros de Esposende, e Benemérito da Santa Casa da Misericórdia de Esposende, onde ainda, recentemente, lhe foi prestada uma Homenagem.Também foi Vereador da Câmara Municipal de Esposende. etc...
Tive o prazer de conviver de perto com o Sr. Braga, não é fácil falar da sua morte, desaparece um Homem Bom, que com certeza vai fazer muita falta à nossa terra.
Esposende está mais pobre...
Até sempre Sr. Braga.
À Família enlutada os meus sentidos pêsames. 
a.pinto